Imagem capa - Nosso Conceito, nossa nova Logomarca por Eduardo Antonio Neri
Sobre Nós

Nosso Conceito, nossa nova Logomarca




Árvore = Planta lenhosa cujo caule, ou tronco, fixado no solo com raízes, é despido na base e carregado de galhos e folhas na parte superior.


Raiz = eixo de uma planta vascular, com ramificações, e que serve para fixá-la ao solo, além de absorver e conduzir água e minerais.


Folhas = presas a um caule ou ramo que sustenta o limbo verde, plano e cheio de nervuras. Principal órgão de respiração das plantas.





Primeira logomarca.



Nossa logomarca, pode dizer muito além do que ela apenas é, a arvore representa a imponência, a longevidade que uma foto pode atingir que muitas vezes duram séculos, a beleza que a fotografia tem em nossas vidas, pois além ser uma arte, ter a força ao dizer uma mensagem, tem também na fotografia a sutileza como suas folhas verdes presas à ela que geram alegria, amor, verdadeiros sentimentos que são principais para a nossa sobrevivência, como um combustível para o nosso corpo, folhas caídas que retratam o drama, a emoção de cada lágrima que cai de nossos olhos nos momentos mais felizes e de emoção extrema q passamos... raízes que entram no solo, como o poder que a foto tem ao entrar em nosso coração e transpassar fazendo relembrar através dos batimentos acelerados o quão foi emocionante aquele momento que o amor proporcionou, raízes que atravessam gerações ecoando o que a fotografia mostra por toda eternidade, raízes também que encravam no coração de cada um pra viver a alegria e a emoção para sempre juntos...



Segunda Logomarca.


Portanto, além de todo o conceito que engloba nossa logomarca, queremos fazer da sua foto nosso conceito de arte e buscaremos exatamente isso, queremos plantar uma semente de nosso trabalho na sua vida para que assim como a árvore, possa trazer a força, longevidade, alegria, o amor, mas principalmente entrar no seu coração trazendo toda emoção vivida em cada momento do dia mais importante do amor.



Logomarca Atual e Definitiva.


Dizia um amigo:

“Uma semente ao vento, vaga sem destino, sem rota, sem pressa obedecendo a Cronos e seus caprichos e devaneios. Um dia, essa semente   outrora ignorada, algumas vezes desprezada encontra o doce aconchego do solo fértil de Gaia. Lapidada, cresce e floresce, atravessa os ares como Ícarus e se enraíza na terra com a força de Zeus! Apolo e Atena se curvam às curvas do majestoso esplendor. Vive sua própria epopeia, odisseia, tão persistente quanto Ulisses, tocados igualmente por Afrodite. Deusa do amor e da dor, do amor na presença, da dor na falta de amor e na ausência, persiste! Desde os primórdios, atravessa as Eras, os povos, as mitologias, as revoluções. Uma simples árvore que persiste às infinitas gerações, assim como a simplicidade do amor. ” 

Jonathan Martins